CURSO DE Graduação

Ciências Contábeis

  • Modalidade: Bacharelado
  • Carga Horária: 3080 horas
  • Duração do Curso: 8 semestres
  • Turno: Noturno
  • E-mail: 2021.laisavelar@cnec.br
  • Autorização: Portaria n.º 119, de 12 de fevereiro de 1998 (DOU de 16/2/1998).
  • Reconhecimento: Portaria n.º 1250, de 13 de maio de 2004 (DOU de 14/5/2004).
  • 1ª Renovação de Reconhecimento: Portaria n.º 305, de 2 de agosto de 2011 (DOU de 04/8/2011).
  • 2ª Renovação de Reconhecimento: Portaria n.º 705, de 18 de dezembro de 2013 (DOU de 19/12/2013).
  • Coordenação: Laís Carolina Lúcia Avelar
  • Titulação: Especialista
  • Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/8751621551453799
  • Horário de Atendimento: Segunda-feira: 20h às 21h, Quinta-feira: 20h às 20h50, Sexta-feira: 20h45 às 20h50. Para evitar longos períodos de espera, sugere-se agendar atendimento por e-mail.

Objetivos

O curso de graduação em Ciências Contábeis tem como objetivo formar um profissional crítico,  generalista e que tenha uma visão multidisciplinar das instituições. Além disso, é importante que o profissional conte com uma preocupação gerencial voltada ao planejamento estratégico, com flexibilidade para entender e adaptar-se às diferentes situações culturais, conjunturais e novas tecnologias.

Para atingir tal objetivo, a formação acadêmica é instrumentalizada para que o profissional possa utilizar e disseminar a contabilidade como um sistema de comunicação e informação de natureza econômico-financeira que demonstra a realidade das instituições com fidedignidade, justiça e clareza.

Sendo assim, e em conformidade com o artigo 3º da Resolução CNE/CES n.º 10, de 16 de dezembro de 2004, ocurso de graduação propicia todas as condições para que o futuro contabilista seja capacitado a:

  1. compreender as questões científicas, técnicas, sociais, econômicas e financeiras, em âmbito nacional e internacional e nos diferentes modelos de organização;
  2. apresentar pleno domínio das responsabilidades funcionais envolvendo apurações, auditorias, perícias, arbitragens, noções de atividades atuariais e de quantificações de informações financeiras, patrimoniais e governamentais, com a plena utilização de inovações tecnológicas; e
  3. revelar capacidade crítico-analítica de avaliação, quanto às implicações organizacionais com o advento da tecnologia da informação.

Áreas de atuação

O mercado de trabalho para o profissional da contabilidade é amplo, sendo possível encontrar boas oportunidades em todas as regiões do país. Nas Faculdades Inesc, o curso de Ciências Contábeis conta com uma matriz curricular sólida constituída de disciplinas de formação geral, de formação profissional e de formação teórico-prática, conforme estabelece a Resolução CNE/CES n.º 10, de 16 de dezembro de 2004.

Atualmente, para o exercício da profissão de contador, além do bacharelado em Ciências Contábeis com reconhecimento perante o Ministério da Educação (MEC) é necessário obter aprovação no Exame de Suficiência do Conselho Federal de Contabilidade (CFC). A avaliação trata-se de um instrumento semelhante ao tradicional exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e tem como objetivo averiguar se o estudante detém o conhecimento científico necessário para atuar no mercado de trabalho.

De acordo com a Resolução CFC n.º 560, de 28 de outubro de 1983, são atribuições privativas do profissional da contabilidade:

  1. avaliação de acervos patrimoniais e verificação de haveres e obrigações, para quaisquer finalidades, inclusive de natureza fiscal;
  2. avaliação dos fundos de comércio;
  3. apuração do valor patrimonial de participações, quotas ou ações;
  4. reavaliações e medição dos efeitos das variações do poder aquisitivo da moeda sobre o patrimônio e o resultado periódico de quaisquer entidades;
  5. apuração de haveres e avaliação de direitos e obrigações, do acervo patrimonial de quaisquer entidades, em vista de liquidação, fusão, cisão, expropriação no interesse público, transformação ou incorporação dessas entidades, bem como em razão de entrada, retirada, exclusão ou falecimento de sócios, quotistas ou acionistas;
  6. concepção dos planos de determinação das taxas de depreciação e exaustão dos bens materiais e dos de amortização dos valores imateriais, inclusive de valores diferidos;
  7. implantação e aplicação dos planos de depreciação, amortização e diferimento, bem como de correções monetárias e reavaliações;
  8. regulações judiciais ou extrajudiciais, de avarias grossas ou comuns;
  9. escrituração regular, oficial ou não, de todos os fatos relativos aos patrimônios e às variações patrimoniais das entidades, por quaisquer métodos, técnicas ou processos;
  10. classificação dos fatos para registros contábeis, por qualquer processo, inclusive computação eletrônica, e respectiva validação dos registros e demonstrações;
  11. abertura e encerramento de escritas contábeis;
  12. execução dos serviços de escrituração em todas as modalidades específicas, conhecidas por denominações que informam sobre o ramo de atividade, como contabilidade bancária, contabilidade comercial, contabilidade de condomínio, contabilidade industrial, contabilidade imobiliária, contabilidade macroeconômica, contabilidade de seguros, contabilidade de serviços, contabilidade pública, contabilidade hospitalar, contabilidade agrícola, contabilidade pastoril, contabilidade das entidades de fins ideais, contabilidade de transportes, e outras;
  13. controle de formalização, guarda, manutenção ou destruição de livros e outros meios de registro contábil, bem como dos documentos relativos à vida patrimonial;
  14. elaboração de balancetes e de demonstrações do movimento por contas ou grupos de contas, de forma analítica ou sintética;
  15. levantamento de balanços de qualquer tipo ou natureza e para quaisquer finalidades, como balanços patrimoniais, balanços de resultados, balanços de resultados acumulados, balanços de origens e aplicações de recursos, balanços de fundos, balanços financeiros, balanços de capitais, e outros;
  16. tradução, em moeda nacional, das demonstrações contábeis originalmente em moeda estrangeira e vice-versa;
  17. integração de balanços, inclusive consolidações, também de subsidiárias do exterior;
  18. apuração, cálculo e registro de custos, em qualquer sistema ou concepção: custeio por absorção global, total ou parcial; custeio direto, marginal ou variável; custeio por centro de responsabilidade com valores reais, normalizados ou padronizados, históricos ou projetados, com registros em partidas dobradas ou simples, fichas, mapas, planilhas, folhas simples ou formulários contínuos, com processamento manual, mecânico, computadorizado ou outro qualquer, para todas as finalidades, desde a avaliação de estoques até a tomada de decisão sobre a forma mais econômica sobre como, onde, quando e o que produzir e vender;
  19. análise de custos e despesas, em qualquer modalidade, em relação a quaisquer funções como a produção, administração, distribuição, transporte, comercialização, exportação, publicidade, e outras, bem como a análise com vistas à racionalização das operações e do uso de equipamentos e materiais, e ainda a otimização do resultado diante do grau de ocupação ou do volume de operações;
  20. controle, avaliação e estudo da gestão econômica, financeira e patrimonial das empresas e demais entidades;
  21. análise de custos com vistas ao estabelecimento dos preços de venda de mercadorias, produtos ou serviços, bem como de tarifas nos serviços públicos, e a comprovação dos reflexos dos aumentos de custos nos preços de venda, diante de órgãos governamentais;
  22. análise de balanços;
  23. análise do comportamento das receitas;
  24. avaliação do desempenho das entidades e exame das causas de insolvência ou incapacidade de geração de resultado;
  25. estudo sobre a destinação do resultado e cálculo do lucro por ação ou outra unidade de capital investido;
  26. determinação de capacidade econômico-financeira das entidades, inclusive nos conflitos trabalhistas e de tarifa;
  27. elaboração de orçamentos de qualquer tipo, tais como econômicos, financeiros, patrimoniais e de investimentos;
  28. programação orçamentária e financeira, e acompanhamento da execução de orçamentos-programa, tanto na parte física quanto na monetária;
  29. análise das variações orçamentárias;
  30. conciliações de contas;
  31. organização dos processos de prestação de contas das entidades e órgãos da administração pública federal, estadual, municipal, dos territórios federais e do Distrito Federal, das autarquias, sociedades de economia mista, empresas públicas e fundações de direito público, a serem julgadas pelos Tribunais, Conselhos de Contas ou órgãos similares;
  32. revisões de balanços, contas ou quaisquer demonstrações ou registros contábeis;
  33. auditoria interna e operacional;
  34. auditoria externa independente;
  35. perícias contábeis, judiciais e extrajudiciais;
  36. fiscalização tributária que requeira exame ou interpretação de peças contábeis de qualquer natureza;
  37. organização dos serviços contábeis quanto à concepção, planejamento e estrutura material, bem como o estabelecimento de fluxogramas de processamento, cronogramas, organogramas, modelos de formulários e similares;
  38. planificação das contas, com a descrição das suas funções e do funcionamento dos serviços contábeis;
  39. organização e operação dos sistemas de controle interno;
  40. organização e operação dos sistemas de controle patrimonial, inclusive quanto à existência e localização física dos bens;
  41. organização e operação dos sistemas de controle de materiais, matérias-primas, mercadorias e produtos semifabricados e prontos, bem como dos serviços em andamento;
  42. assistência aos conselhos fiscais das entidades, notadamente das sociedades por ações;
  43. assistência aos comissários nas concordatas, aos síndicos nas falências, e aos liquidantes de qualquer massa ou acervo patrimonial;
  44. magistério das disciplinas compreendidas na Contabilidade, em qualquer nível de ensino, inclusive no de pós-graduação;
  45. participação em bancas de exame e em comissões julgadoras de concursos, onde sejam aferidos conhecimentos relativos à Contabilidade;
  46. estabelecimento dos princípios e normas técnicas de Contabilidade;
  47. declaração de Imposto de Renda, pessoa jurídica; e
  48. demais atividades inerentes às Ciências Contábeis e suas aplicações.

Maiores informações sobre a profissão podem ser obtidas nos sites abaixo relacionados.

- Guia do Estudante da Editora Abril

http://guiadoestudante.abril.com.br/profissoes/administracao-negocios/ciencias-contabeis-684550.shtml

- Guia de Carreiras do Portal G1

http://g1.globo.com/educacao/guia-de-carreiras/noticia/2012/08/guia-de-carreiras-ciencias-contabeis.html

Projeto Pedagógico do Curso

De acordo com a normatização do Ministério da Educação (MEC), o Projeto Pedagógico do Curso (PPC) é o instrumento basilar de organização dos cursos de graduação. O PPC de Ciências Contábeis tem sido atualizado periodicamente segundo as recomendações do Núcleo Docente Estruturante (NDE) e as deliberações do Colegiado de Curso.

Nas revisões mais recentes, pode-se afirmar que o fio condutor das modificações tem sido pensar o curso como um processo integrado. Esta nova perspectiva implica em eliminar a ideia de que a graduação é constituída de um conjunto de disciplinas que estão agrupadas em diferentes períodos letivos. Alternativamente, a proposta é que cada componente ou atividade curricular possa ser justificada em termos do que oferece à formação do aluno e que haja uma conexão anterior e posterior. Dito de outro modo, ao ingressar no curso, o aluno inicia um fluxo com etapas interdependentes.

Obviamente, o PPC de Ciências Contábeis encontra sustentação no Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) das Faculdades Inesc. Além disso, o PPC contempla estratégias para lidar com variáveis regionais que possuem reflexo no recrutamento do corpo docente e no perfil do aluno que ingressa no curso.

Projeto Pedagógico Ciências Contábeis

 

Perfil do Egresso

A organização curricular e pedagógica do curso de Ciências Contábeis está ancorada no objetivo de formar profissionais tecnicamente qualificados e com perfil generalista, aptos a atuar tanto nas áreas específicas da contabilidade quanto nas atividades correlatas.  A diversificação do corpo docente, sobretudo no que diz respeito à experiência profissional, contribui para que os alunos tenham diferentes visões acerca do mundo trabalho ao longo do curso.

Especificamente, e em cumprimento às Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN) do curso de Ciências Contábeis, o curso pretende desenvolver as seguintes competências e habilidades:

 

  1. utilizar adequadamente a terminologia e a linguagem das ciências contábeis e atuariais;
  2. demonstrar visão sistêmica e interdisciplinar da atividade contábil;
  3. elaborar pareceres e relatórios que contribuam para o desempenho eficiente e eficaz de seus usuários, quaisquer que sejam os modelos organizacionais;
  4. aplicar adequadamente a legislação inerente às funções contábeis;
  5. desenvolver, com motivação e através de permanente articulação, a liderança entre equipes multidisciplinares para a captação de insumos necessários aos controles técnicos, à geração e disseminação de informações contábeis, com reconhecido nível de precisão;
  6. exercer suas responsabilidades com o expressivo domínio das funções contábeis, incluindo noções de atividades atuariais e de quantificações de informações financeiras, patrimoniais e governamentais, que viabilizem aos agentes econômicos e aos administradores de qualquer segmento produtivo ou institucional o pleno cumprimento de seus encargos quanto ao gerenciamento, aos controles e à prestação de contas de sua gestão perante à sociedade, gerando também informações para a tomada de decisão, organização de atitudes e construção de valores orientados para a cidadania;
  7. desenvolver, analisar e implantar sistemas de informação contábil e de controle gerencial, revelando capacidade crítico analítica para avaliar as implicações organizacionais com a tecnologia da informação; e
  8. exercer com ética e proficiência as atribuições e prerrogativas que lhe são prescritas através da legislação específica, revelando domínios adequados aos diferentes modelos organizacionais.

Estrutura curricular

Desde o início de suas atividades, o curso de Ciências Contábeis já passou por duas revisões da estrutura curricular. As reformulações buscaram atender às constantes modificações nas normas nacionais e internacionais de contabilidade, bem como às novas exigências do mercado de trabalho.

Atualmente encontram-se vigentes as estruturas curriculares implantadas no 2º/2007 e no 1º/2012. A versão de 2007 é utilizada para os alunos que ingressaram no curso até o 2º/2011.  Já a versão de 2012 rege a oferta de disciplinas desde o 1º/2012.

A atual estrutura curricular atende a todos os requisitos estabelecidos pela Resolução CNE/CES n.º 10, de 16 de dezembro de 2004 e pela Resolução CNE/CES n.º 2, de 18 de junho de 2007. A carga horária mínima do curso (3000 horas) é composta de 2.820 horas (94%) em disciplinas e 180 horas (6%) em atividades complementares.

A carga horária obrigatória é estratificada da seguinte forma: em 1.080 horas (36%) para formação básica, 1.240 horas (41,33%) para formação profissional e 680 horas (22,67%) para formação teórico-prática. Além disso, os alunos devem cursar 80 horas em disciplinas optativas, totalizando as 3.080 horas exigidas para a conclusão do curso.

Estrutura Curricular – 2016.01

Estrutura Curricular 1_2012

Fluxograma da Estrutura Curricular 2012

Estrutura Curricular 2_2007

Corpo Docente

Adir Martins de Melo
Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/7503154875117187 

Ana Paula Pinto Viana
Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/4611959318188154 

Claudimar Dias de Oliveira
Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/5094691972578952 

Daniel Azevedo Palma
Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/5711591977324236 

Danilo Bijos Crispim
Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/7840566243523755 

Eduardo Vieira de Sousa
Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/3657806044862511 

Eudes Rubens Pereira
Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/8890107570149861

Filipe Rizzo
Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/5294693745066565 

Eva Nilce de Faria Pires
Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/0870249413910013 

Fabrício Oliveira Leitão
Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/7050062167480297 

Fernando Ampessan

Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/7574644949585977 

Fernando Lacerda Rocha
Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/5882841731774720 

Guilherme Rocha Brent
Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/5416820286611316 

Isabela Cristina Marins Braga
Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/8983849123646388

Júnior Fernandes Pimenta
Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/6361761407811612

Lara de Windson Oliveira Almeida Marchiore
Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/0553309311184827

Laís Carolina Lúcia Avelar
Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/8751621551453799 

Lúcio Altair Ribeiro de Sá
Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/5276815668032357

Mac Amaral Cartaxo

Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/951773203105290

Raquel Aparecida Alves
Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/9126044063043437 

Renzo Fabrício de Moura
Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/7370052356965446 

Rômulo Caldeira de Souza Maia
Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/9962940707386325 

Rosimeire Fernandes Cruz Pereira
Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/8007337786917444 

Solange das Graças Mendes
Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/4040565586465644 

Stela Mares Santos
Currículo Lattes:  http://lattes.cnpq.br/7517653725458911 

Viviane Ribeiro
Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/5498527863995978

Colegiado de Curso

De acordo com a Resolução n.º CS/002/2013, de 8 de fevereiro de 2013, a qual “Dispõe sobre o Regulamento dos Colegiados de Cursos do Instituto de Ensino Superior Cenecista – INESC.”, o Colegiado de Curso é um órgão superior deliberativo em matéria didático-científica e disciplinar  com as seguintes atribuições:

  1. definir as atribuições e os critérios de constituição do Núcleo Docente Estruturante – NDE;
  2. articular as relações entre o Núcleo Docente Estruturante – NDE, o corpo docente, o corpo discente e comunidade;
  3. instituir ações para a melhoria da qualidade do curso;
  4. propor o planejamento e a realização de cursos de pós-graduação, aperfeiçoamento e extensão;
  5. propor formas e instrumentos de avaliação do curso;
  6. instituir ações que deem efetividade às políticas estabelecidas no Projeto Político Pedagógico Institucional no âmbito do curso;
  7. instituir ações para cumprimento das Diretrizes Curriculares Nacionais;
  8. planejar e propor atividades de formação contínua e integração dos docentes;
  9. aprovar alterações na Matriz Curricular e nos Conteúdos Programáticos das Disciplinas para que estejam em consonância com o Projeto Pedagógico de Curso – PPC;
  10. promover atividades nas áreas de Ensino, Iniciação Científica e Extensão respeitadas as especialidades e interesses da comunidade acadêmica;
  11. propor ao Conselho Superior o plano anual das atividades acadêmicas do Curso;
  12. propor a publicação de estudos, produção acadêmica, científica, técnica e cultural realizados no curso; e
  13. aprovar as atividades complementares propostas para o curso.

A Portaria n.º 011-E/2013, de 5 de agosto de 2013, estabelece que o Colegiado de Curso de Ciências Contábeis tem a composição discriminada abaixo.

 

Membro Representação
Danilo Bijos Coordenação
Eduardo Vieira de Sousa Docente
Lúcio Altair Ribeiro de Sá Docente
Raquel Aparecida Alves Docente
Wendel Rodrigues Valadares Discente

Portaria Colégiado de Curso Ciências Contábeis

Núcleo Docente Estruturante

A Resolução n.º CS/001/2010, de 17 de setembro de 2010, que “Dispõe sobre o Regulamento do Núcleo Docente Estruturante (NDE) do Instituto de Ensino Superior Cenecista – INESC.”, conceitua o NDE como o órgão executivo responsável pela concepção do Projeto Pedagógico do Curso (PPC) e tem, por finalidade, a implantação do mesmo. Além disso, são atribuições do NDE:

  1. contribuir para a consolidação do perfil profissional do egresso do curso;
  2. zelar pela integração curricular interdisciplinar entre as diferentes atividades de ensino constantes no currículo;
  3. indicar formas de incentivo ao desenvolvimento de linhas de pesquisa e extensão, oriundas de necessidades da graduação, de exigências do mercado de trabalho e afinadas com as políticas públicas relativas à área de conhecimento do curso;
  4. zelar pelo cumprimento das Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Graduação;
  5. atualizar periodicamente o projeto pedagógico do curso;
  6. conduzir os trabalhos de reestruturação curricular, para aprovação no Conselho Superior, sempre que necessário;
  7. supervisionar as formas de avaliação e acompanhamento do curso definidas pelos órgãos competentes;
  8. analisar e avaliar os Planos de Ensino dos componentes curriculares;
  9. promover a integração horizontal e vertical do curso, respeitando os eixos estabelecidos pelo projeto pedagógico;
  10. acompanhar as atividades do corpo docente, recomendando a Direção a indicação ou substituição de docentes, quando necessário; e
  11. acompanhar as atividades dos discentes.

Para o curso de Ciências Contábeis, a Portaria n.º 010/2013, de 4 de junho de 2013, reza que o NDE é composto pelos docentes abaixo relacionados.

Daniel Azevedo Palma – Mestre

Eva Nilce de Faria Pires – Especialista

Jussara Resende Costa – Doutora

Laís Carolina Lúcia Avelar – Especialista

Viviane Ribeiro Marques – Mestre

Portaria Núcleo Docente Estruturante

ENADE

O Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (ENADE), instituído pela Lei nº 10.861, de 14 de abril de 2004 e regulamentado pela Portaria nº 603, de 7 de março de 2006 , é parte integrante do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), que compreende três instrumentos: a Avaliação das Instituições, dos Cursos e dos Estudantes.

O Enade é um instrumento destinado a avaliar o desempenho dos estudantes com relação:

  • aos conteúdos programáticos previstos nas diretrizes curriculares dos cursos de graduação;
  • ao desenvolvimento de competências e habilidades necessárias ao aprofundamento da formação geral e profissional;
  • ao nível de atualização dos estudantes com referência à realidade brasileira e mundial.

O Enade é componente curricular obrigatório dos cursos de graduação e a regularidade junto ao ENADE, seja pela efetiva participação ou pela dispensa oficial pelo MEC, é condição prévia a conclusão de curso de graduação, expedição e respectivo registro do diploma.

Consulte o ENADE deste curso

Períodicos Online

O curso disponibiliza na Biblioteca da Instituição periódicos impressos e também, acesso a Periódicos Livres e a Base de Dados de Periódicos Científicos EBSCO, maior empresa de bases de dados online de periódicos estrangeiros e nacionais no mundo, disponibilizando acesso online a periódicos via bases de dados em texto completo para os maiores centros de pesquisa no Brasil e no mundo.

Períodicos Livres
Períodicos EBSCO

Estas bases de dados encontram-se disponibilizadas para consulta dos alunos nos terminais da Biblioteca e nos computadores dos Laboratórios de Informática.

Critérios de Avaliação

RESOLUÇÃO Nº CS/012/2015, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2015.

Entra em vigor em 1º de janeiro de 2016.
RESOLUÇÃO Nº CS/012/2015, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2015.

Dispõe sobre o Regulamento Geral da Avaliação de Desempenho Acadêmico por Disciplina da Faculdade CNEC Unaí.

Regulamento Geral da Avaliação de Desempenho Acadêmico


Aguarde...